Cuiabá, 21 de Setembro de 2019

GERAL
Terça-feira, 03 de Setembro de 2019, 16h:35

NÃO DESISTA!

Setembro Amarelo destaca o valor à vida e traz publicidade ao tema ‘suicídio’

Vithória Sampaio
Única News

(Foto:Reprodução)

Durante todo o mês de setembro ocorre a campanha de conscientização sobre prevenção ao suicídio, conhecida mundialmente por “Setembro Amarelo”. O movimento foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com intuito de trazer conscientização e visibilidade à causa.

Associado à cor amarela e ao mês, em razão do Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio, que é celebrado todo ano em 10 de setembro, a campanha ganha voz através de ações que expandem o conhecimento e quebram tabus em torno do tema, fazendo com que a população entenda que não se trata de fraqueza ou de personalidade: é uma questão de saúde.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 32 brasileiros tiram a própria vida por dia no país, o equivalente a um suicídio a cada 45 minutos. Os mesmos dados apontam o suicídio como a terceira causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos. Ainda de acordo com a OMS, mais de 90% dos casos estão associados a distúrbios mentais, o que pode ser evitado se as causas forem tratadas corretamente.

Normalmente, as pessoas que recorrem ao suicídio estão tentando fugir de alguma situação que são consideradas insuportáveis, independente do padrão de vivência ou comportamento, que acarretam traumas e depressão. Uma doença não tratada leva o indivíduo em busca de uma solução para a dor e, em muitos casos, o fim da dor só é percebido como o fim da vida.

“Nunca quis morrer, de fato. Eu queria fugir da situação em que estava presa, com traumas do passado, tristezas, situações em que eu não via outra saída. Na minha cabeça, se eu morresse, seria mais fácil para todo mundo. Seria um alívio para mim e para as pessoas ao meu redor”, afirma E.T.S., 32 anos, que trata a depressão desde 2017 e tentou suicídio em duas ocasiões.

Hoje ela está estável. “Às vezes, quando a tristeza bate, quando vejo que uma crise de ansiedade está se avizinhando, me apego às pessoas que amo, à importância do meu filho. Mas não há dúvidas de que, se não fosse o apoio psicológico e o uso de medicamentos, como antidepressivos e ansiolíticos, hoje esse apoio da família não seria o suficiente”, afirma.

De acordo com a psicóloga Aldriene Teodoro, que atende pacientes da rede pública de Campo Verde (a 129 km de Cuiabá), lidar com a ideação suicida, em qualquer área de atuação, é delicado. O primeiro passo é abrir mão do julgamento, do senso comum e trabalhar por meio da ciência, que é o que baseia a psicologia.

“A forma como cada um entende e recebe informações do meio em que vive é única e particular. O que é simples para uns, pode não ser tão simples para outros. São várias as abordagens existentes dentro dessa ciência e todas elas com profissionais capacitados. O tratamento se dá através de psicoterapia, em conjunto com medicações e acompanhamento psiquiátrico paralelo ao psicológico”, pontua.

No sistema único de saúde já existem unidades destinadas ao tratamento psicológico clínico/terapêutico. As unidades de saúde (hospitais, PSF) encaminham o paciente para atendimento psicológico quando identificada a intenção suicida. Desde a identificação, inicia-se um tratamento multiprofissional, em que a pessoa e sua família são acompanhadas pela rede de proteção do município, com atendimentos psiquiátricos, psicológicos e psicossociais.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) conta com atendimento voluntário em todo o país, pelo número 188, oferecendo apoio psicológico para quem se sente solitário e adoecido, durante todo o ano.

A organização é uma das mais antigas do país. Atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio por telefone, chat, e-mail e também pessoalmente.

O Única News pede a você, que precisa de ajuda: NÃO DESISTA. Ligue para o 188 e entre em contato com CVV. Nas redes sociais, em caso de desespero, use as hashtags #ansiedade #depressão ou #suicídio e as páginas vão te orientar sobre o que fazer.

Não desista. Você é importante.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE