Cuiabá, 21 de Novembro de 2018

RESPEITO A DIVERSIDADE

Domingo, 11 de Fevereiro de 2018, 20h:00 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Travestis e transgêneros serão atendidos em unidades de saúde pelo seu nome social

Da Redação

(Foto: Ilustração)

Travestis e transgêneros.jpg

 

Medida publicada no Diário Oficial de Contas, no finalzinho de janeiro, por meio da portaria nº25/2018/SMS, transexuais e transgêneros passam a ter o nome social reconhecido no âmbito da Secretaria de Saúde de Cuiabá. 

 

Com a medida, uma pessoa oficialmente do sexo masculino ou vice versa, poderá exigir ser tratado pela identidade de gênero que o representa.

 

O nome social já é realidade em outros órgãos inclusive federais e de acordo com a secretária de Saúde, Elizeth Araújo além do respeito ao cidadão, o objetivo da SMS ao reconhecer esse direito é reduzir as expressões de violência e preconceito contra o público de travestis e trangêneros especialmente em seu ambiente de trabalho.

 

“Já havia essa demanda na secretaria, pois tínhamos casos de pessoas internadas que muitas vezes eram procuradas pelo nome social, mas os nossos servidores não o encontravam porque o prontuário estava com o nome civil. E outros em que a pessoa se sentia constrangida por ser chamada por um nome/gênero ao qual não lhe representa. frente a isso, além do respeito à identidade de gênero, a atitude da SMS é uma questão de direito, pois se a justiça já assegurou o direito dessa pessoa ter reconhecida sua identidade de gênero em muitos outros órgãos, nós também o respeitaremos. Afinal, humanização também é inclusão”, frisou a secretária.

 

A coordenadora do Núcleo de Educação Permanente da SMS de Cuiabá, Vera Lucia Honório dos Anjos explica que a mudança também valerá para os profissionais da SMS que, inclusive, se solicitado, poderão ter o nome incluso no crachá e nas folhas de pagamento. “A partir de agora o servidor ou servidora que é transexual ou travesti vai poder ter seu crachá, seu carimbo ou mesmo seu holerite com o nome social. Para isso, basta fazer uma declaração de reconhecimento do nome social e entregá-la à Gestão de Pessoas do setor no qual o servidor faz parte para ter reconhecido este direito”, ressaltou.

 

A coordenadora salientou também que a SMS, por meio do Núcleo de Educação Permanente irá investir em capacitações de acolhimento ao público LGBT.

 

Para o mestre em psicologia social e especialista em saúde e perfil psicólogo da SMS, Gabriel Henrique Figueiredo, a portaria é mais que um  reconhecimento dos direitos dos transexuais e transgêneros. 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br