Cuiabá, 16 de Outubro de 2019

CIDADES
Terça-feira, 04 de Junho de 2019, 08h:39

APÓS "VACA LOUCA"

Ministério da Agricultura suspende exportação da carne de MT à China

Claryssa Amorim
Única News

A exportação da carne de Mato Grosso para a China foi suspensa pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento do Brasil, após um acordo bilateral assinado em 2015. Segundo o Ministério da Agricultura, a emissão de certificados sanitários está suspenso até que a autoridade chinesa conclua a avaliação disposto no acordo bilateral.

Recentemente, em Mato Grosso foi registrado uma ocorrência de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), doença conhecida como "Vaca louca", em um bovino. Porém, o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) esclareceu que a variedade da doença não é transmissível a outros animais ou humanos.

Segundo o Indea, em uma análise de rotina em laboratório de referência no Canadá, foi detectado se tratar da encefalopatia, na variedade atípica. Essa variedade ocorre por conta da idade do animal, ou seja, não é transmissível.

"Ressaltamos que são realizadas ações rigorosas de fiscalização em estabelecimentos de criação de gado no Estado, além de rotineiros testes nos alimentos fornecidos aos ruminantes, de modo a prevenir a ocorrência da doença. O produtor rural mato-grossense conhece as normas brasileiras e está comprometido com os métodos de prevenção em vigor", cita trecho da nota do Indea.

Ainda conforme o Indea-MT, o trabalho realizado pelo Serviço Veterinário Oficial garante que não há qualquer possibilidade dessa ocorrência representar ameaça à qualidade da carne produzida em Mato Grosso, nem risco aos consumidores.

O Ministério da Agricultura informou ainda em nota que a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) determinou o encerramento do caso da "vaca louca" em Mato Grosso, pois não tem alteração do status sanitário brasileiro e com isso, segue com risco "insignificante" para a doença.

Leia a nota:

1 - Examinada a notificação da ocorrência pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), este órgão determinou hoje (3) o encerramento do caso sem alteração do status sanitário brasileiro, que segue como risco insignificante para a doença.

2 - A OIE informou ainda que não haverá relatórios suplementares sobre o caso.

3 - No caso da China, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil suspendeu temporariamente a emissão de certificados sanitários até que a autoridade chinesa conclua sua avaliação das informações já transmitidas sobre o episódio, cumprindo-se, assim, o disposto no protocolo bilateral assinado em 2015.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE