Cuiabá, 16 de Julho de 2018

SE RETRATANDO

Domingo, 15 de Abril de 2018, 16h:30 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Juíza se desculpa, por meio de nota, após ironizar advogado no seu Instagram

Da Redação

(Foto: Reprodução)

Juiza-instagram 2.jpg

 

Após ironizar advogado em audiência, em dois posts no Instagram - onde tem 3.488 seguidores -, ser bombardeada pela Ordem dos Advogados do Brasil, secção Mato Grosso e ainda ter suas mensagens viralizadas pelas redes sociais, a juíza da 2ª Vara Criminal de Tangará da Serra (250 km de Cuiabá), Anna Paula Gomes Freitas, voltou a rede social, agora para pedir desculpas, principalmente, aos advogados. 

 

Na primeira postagem realizada no último dia 13, que acabou sendo viralizado nos grupos de WhastApp, particularmente de advogados e jornalistas, a magistrada salienta em uma das fotos sobre 'aquela falta de paciência que vai dando quando a audiência é estressante e o advogado começa a fazer pergunta idiota!'. Na outra ainda diz juíza  sobre 'aquela satisfação quando da pergunta idiota, vem uma resposta que é tudo que a defesa não queria ouvir'.

 

Ainda no mesmo dia a OAB-MT - por meio do presidente da instituição, Leonardo Campos, lamentou 'a colocação da magistrada', informando que o caso já havia sido levado à Corregedoria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Sob o argumento de que a juíza feriu o Código de Ética da magistratura e, assim, cabível de sofrer punição por meio de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

 

Para Leonardo Campos, 'a juíza foi extremamente infeliz e fez comentários desnecessários e que nada contribuem para a efetiva distribuição da justiça, além de ter sido desrespeitosa com o ato formal e solene que é a audiência, que aliás, deveria ser objeto de atenção de todos (o desrespeito aos advogados nem precisa ser mais ainda explicitado)', destacou. 

 

Em suas desculpas públicas, a magistrada ressalta entretanto, que seus comentários foram realizadas longe da toga, mas como cidadã, que às vezes reclama da fila de banco, da atitude do semelhante. Ainda lembrando que as colocações foram realizadas em sua conta fechada [ supostamente restrita apenas para amigos]. Porém, seus comentários caíram na rede social, chegaram ao Tribunal de Justiça, aos advogados e ainda ganhou proporções gigantescas na mídia.

 

A juiza pontua ainda que não havia intenção em desrespeitar o advogado, nem tampouco a categoria. Fazendo questão de ressaltar - na nota - que todos que atuaram com ela, 'sabem do respeito, da isonomia e da seriedade com os quais sempre tratou a classe'.

 

A juiza também frisa seus 14 anos no exercício da magistratura em Mato Grosso e a dedicação com que leva sua profissão, nestes anos já tendo passado pelas comarcas de Nova Canaã do Norte, Colíder, Alto Araguaia, Alta Floresta e, agora, em Tangará da Serra. 'Sempre trilhando um trabalho sério em favor da população e do Estado, pautada no respeito com agentes que compõem o trâmite jurídico', ainda diz.

 

E em trecho da publicação revela que em respeito à população, aos advogados e a Justiça, sentiu necessidade de explicar o fato e se retratar.

 

Ironia na rede

 

A magistrada Anna Paula Gomes Freitas tirou várias selfies, durante uma audiência, e publicou no stories de seu perfil no Instagram, classificano as perguntas de um advogado como “idiotas”.

 

Em uma das fotos, Anna Freitas diz “Aquela falta de paciência que vai dando quando a audiência é estressante e o advogado começa a fazer pergunta idiota!”. A magistrada tem 3.488 seguidores no instagran.

 

Confira post na íntegra

 

Nota pública

 

Em outubro deste ano completo 14 anos no pleno exercício da magistratura em Mato Grosso. Cargo que ocupo com honra, amor, dedicação e responsabilidade. Ao longo desses anos, atuei nas comarcas de Nova Canaã do Norte, Colíder, Alto Araguaia, Alta Floresta e, agora, em Tangará da Serra. Isto, sempre trilhando um trabalho sério em favor da população e do Estado, pautada no respeito com agentes que compõem o trâmite jurídico.

 

Contudo, infelizmente, em data recente, a cidadã comum - que reclama da fila do banco ou de uma atitude de um semelhante - tomou o lugar da juíza. As declarações que postei na minha rede social (fechada supostamente só para amigos) foram postas à população, aos magistrados e, principalmente, aos advogados em geral, e tomaram grandes proporções na mídia.

 

Infelizmente, viralizou de forma equivocada, pois jamais tive a intenção de praticar qualquer ato de ironia, ou, desrespeito para com quem quer que seja, principalmente para com os advogados.

 

A advocacia é uma profissão à qual servi, honrei e sempre respeitei e da qual tenho muito orgulho pois, antes de magistrada, fui advogada.

 

E é para os advogados que dedico este ultimo trecho desta nota. Quem atuou comigo nas cinco comarcas que citei, sabe do respeito, da isonomia e da seriedade com os quais sempre tratei a classe - que compreendo o importante papel quem possuem diante da sociedade.

 

Em respeito à população, aos advogados, bem como pela Justiça, senti a necessidade dessa explicação, como forma de retração.

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Junho 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br