Cuiabá, 20 de Outubro de 2018

ATÉ DEZEMBRO

Quarta-feira, 16 de Maio de 2018, 10h:57 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Está suspenso aumento na alimentação dos estudantes da UFMT

Da Redação

(Foto: Divulgação)

ufmt-1.jpg

 

A reitoria da Universitário na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) anunciou, nesta terça-feira (15), a suspensão do reajuste no valor das refeições do Restaurante Universitário até dezembro de 2018. A decisão foi encaminhada nesta quarta-feira (16), aos estudantes da instituição. A mobilização dos estudantes era contra o reajuste de até R$ 11 nas refeições, anunciado pela reitora da universidade, Myriam Serra.

 

“Nas audiências públicas e nos espaços de discussão internos da Universidade em que abordamos este tema, ouvimos sobre o apelo da não implementação deste formato de reajuste”, disse a reitora.

 

Os alunos da UFMT, decidiram entrar em greve na semana passada, no dia 8 de maio, durante assembleia geral. 

 

Em documento, a Reitoria aos Comandos de Greve dos estudantes e Diretório Central dos Estudantes (DCE’s) dos Campus de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Araguaia e Rondonópolis, mencionou que pode reajustar, por meio do Conselho Universitário (Consuni), uma nova política de alimentação a partir de 2019.

 

De acordo com a secretária de Comunicação da UFMT, a professora doutora, a jornalista Janaina Pedrotti Nedder, a realização de audiências públicas em todos os campis da universidade com a presença da reitora foi outra decisão encaminhada aos estudantes. O mecanismo é apontado como forma de estabelecer mediação mais direta com toda a comunidade acadêmica.

 

“Há um cenário de restrição orçamentária imposto às universidades públicas em nosso País. Embora atuemos contra isso no campo político e social, de forma imediata, também precisamos readequar nossas despesas internas. Mas ouvimos da comunidade acadêmica sobre a importância de participar ativamente deste processo”, disse Serra.

 

Ainda segundo a secretária, os recursos das universidades públicas destinados a despesas de custeio vêm caindo seguidamente nos últimos anos. O Orçamento de 2017 para custeio, por exemplo, caiu 4,5% em relação ao exercício anterior. Esses contingenciamentos do Governo Federal, principalmente de custeio e de investimentos, têm impactado significativamente na situação financeira das Instituições de Ensino Superior Federais (IFES).

 

Reajuste

 

Outros estudantes em situação de vulnerabilidade econômica terão parte do valor subsidiado pela instituição. Os alunos com renda superior, no entanto, deverão pagar o valor cobrado sem o auxílio da UFMT.

 

Atualmente, os estudantes de todos os campi pagam R$ 0,25 pelo café da manhã e R$ 1 para almoço e jantar. Os valores seriam reajustados para R$ 5 o almoço e a janta e para R$ 2,50, o café da manhã.

 

Greve

 

Os alunos da UFMT reuniram em assembleia geral na última terça-feira (8) e decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A greve é contra a mudança na política de alimentação e cortes no orçamento da instituição. Estudantes ocupam campus em várias cidades, inclusive em Cuiabá.

 

A maioria dos estudantes presentes votaram a favor da greve geral estudantil e a favor da ocupação unificada na UFMT no campus Cuiabá. Um dos líderes do movimento, Leonardo Rondon, disse que a greve é por tempo indeterminado. Mais de 2 mil estudantes participaram da assembleia, conforme os coordenadores.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Setembro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br