Cuiabá, 20 de Novembro de 2017

PERIGO EXTINTO

Sexta-feira, 14 de Julho de 2017, 14h:21 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Controlado incêndio florestal que ameaçava parque em Nobres

Da Redação

 

 

(Foto: Reprodução)

LAGOA-NOBRES.JPG

 

Foi controlado o incêndio florestal que ameaçava o Parque Estadual Gruta da Lagoa Azul em Nobres (a 146 km da capital). A unidade de conservação tem 12 mil hectares em uma região montanhosa da Serra do Tombador. Mas pelo menos 400 hectares de vegetação nativa já foram atingidos pelo fogo

 

Duas equipes do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso estabeleceu o controle nesta quinta-feira (13). O fogo começou no início da semana, no Projeto de Assentamento Coqueiral, e foi identificado por satélite pela equipe na sala de monitoramento do BEA. A identificação foi realizada com imagens do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe).

 

Imediatamente o comando do BEA ordenou aos pilotos da aeronave do Batalhão que voassem até o local para confirmar a ameaça. Duas guarnições de combate a incêndio florestal, comandadas pelo Tenente Leandro, se deslocaram no final da manhã para o local.

 

O objetivo principal naquele momento era evitar que as chamas atingissem a Unidade de Conservação. Nos dois dias subsequentes as guarniçõs trabalharam ininterruptamente. Na manhã desta quinta feira o Comandante do BEA, sobrevoou a área atingida, com o apoio do Centro Integrado de Operações Áreas (Ciopaer), confirmando a extinção completa do incêndio.

 

O tenente-coronel Barroso, comandante do BEA, alerta a população mato-grossense para atuar na prevenção e também denunciando quando for o caso. “A estiagem está apenas no início e já estamos enfrentando incêndios ameaçadores. Este é o primeiro incêndio florestal que o BEA atende e nem se iniciou o período proibitivo”, afirma Barroso.

 

O corpo de bombeiros alerta que a partir do dia 15 de julho se inicia o período proibitivo e toda propriedade que iniciar incêndio estará cometendo crime ambiental que prevêpena de seis meses a dois anos de reclusão e multa que varia de R$ 1.000,00 a R$ 7.500,00 por hectare.

 

A equipe de perícia, integrada pelo Corpo de Bombeiros e Politec já estão em campo trabalhando na busca da causa deste incêndio. Daqui a 15 dias, quando satélite responsável pelas imagens passar pela área, será possível estabelecer a cicatriz do fogo com exatidão. Um novo sistema de alerta está sendo testado pelo BEA, a TerraMA2, Plataforma de Monitoramento, Análise e Alerta a Extremos Ambientais. O sistema desenvolvido pelo Inpe alertou a equipe de monitoramento, que um possível incêndio estava próximo à unidade de conservação.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br