Cuiabá, 20 de Novembro de 2018

UNIDADES PRISIONAIS DE MT

Terça-feira, 10 de Julho de 2018, 17h:10 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Agentes voltam a paralisar atividades por 48 horas, após governo não cumprir promessa

Claryssa Amorim
Da Redação

(Foto: reprodução)

UNIDADE PRISIONAL.png

 

Os agentes penitenciários de Mato Grosso irão paralisar as atividades por 48 horas, a partir desta quarta-feira (11), para cobrar o reajuste adicional de insalubridade. De acordo com o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), o governo não cumpriu a promessa de que atenderia a reivindicação.

 

A paralisação entre os dias 11 e 12 de julho, foi votada pela categoria durante Assembleia Geral Ordinária, realizada na última quinta-feira (5).  

 

A categoria cobra além do reajuste do adicional de insalubridade, a extinção do cargo de assistente penitenciário, auxilio fardamento, isenção de ICMS na aquisição de armamento, quebra de interstício para progressão de nível e aproveitamento de tempo de serviço no executivo e um dos mais importantes a convocação dos aprovados no concurso público.

 

Conforme o presidente substituto do sindicato, Amaury Benedito, o secretário da Secretaria de Estado de Gestão (Seges-MT), Ruy Carlos Castrillon da Fonseca, pediu a categoria, o prazo de 15 dias para calcular e atualizar a tabela do Adicional de Insalubridade. Porém, o prazo expirou e não obtiveram “nenhuma resposta plausível a categoria penitenciaria”.

 

 

Informou ainda que foi elaborado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) durante a negociação do sindicato para a convocação dos aprovados no cadastro reserva do concurso público, mas sem prazo definido.

 

O presidente informou ainda que a paralisação das atividades será devido o “descaso com os compromissos assumidos e não cumpridos com o Sindicato da Categoria Penitenciária”.

 

 

Não funciona durante a paralisação:

 

- Não haverá atendimento aos advogados;

- Não haverá atendimento aos Oficiais de Justiça (exceto alvará e mandado de prisão de réu preso);

- Não haverá visita;

- Não haverá assistências penais;

- Não haverá atendimento a Pauta da Justiça;

- Não haverá atendimento à saúde (exceto urgência e emergência);

- Não haverá o recebimento de presos.

 

Esta é a segunda paralisação dos agentes penitenciários reivindicando o reajuste de insalubridade. A paralisação de 72 horas teve inicio no dia 25 e seguiu até o dia 27 de maio deste ano. 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br