Cuiabá, 15 de Outubro de 2018

SUELI CRISTINA

Segunda-feira, 14 de Maio de 2018, 06h:27 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Treinamento de força no controle do diabetes (Glicemia mellitus).


 

Sueli.jpeg

Cref:005135 - (suelicdomingues@gmail.com)

 

 

Diabetes mellitus é uma doença metabólica, caracterizada por hiperglicemia resultante de defeitos na secreção e ou ação de insulina, ou ambos. A hiperglicemia crônica de diabetes está associada a danos prolongados, disfunção e falha de vários órgãos, muitos processos patogênicos estão envolvidos no desenvolvimento de diabetes.

O diabetes tipo I, ocorre geralmente em pessoas mais jovens, e uma doença autoimune possivelmente por ser produzida por uma proteína que torna a célula Beta incapaz de produzir insulina, já o diabete tipo II, vem através da idade, é uma doença adquirida, através da idade e ou obesidade. (CAMPOS; 2008)

O diabético hipertenso é aconselhável uma maior atenção nos exercícios de alongamento que precedem e sucedem os exercícios, pois os alongamentos ajudam através da vasodilatação a reestabelecer a pressão arterial, para o diabético com neuropatia periférica os exercícios que exigem

Sobrecargas com os pés, como por exemplo, a corrida não é recomendada. Campos, (2008).

O ACSM (American College of Sports Medicine) recomenda que 20 a 60 minutos de exercícios aeróbicos, melhora significativamente o nível de aptidão física, embora certa melhora na endurance tenha sido demonstrada com exercícios muito intensos (mais que 90% DO VO²max.) por apenas cinco ou dez minutos, esse tipo de exercícios é muito mais arriscado em relação a lesões e eventos cardiovasculares no entanto você gasta mais calorias quando se exercita com tempo maior e intensidade menor e mais tolerável. Collberg, (2008).

Surgiram diversos estudos sobre o exercício aeróbio, focando seus benefícios para pessoas que a perda de peso melhoraria seu quadro frente à doença. Uma destas doenças é a Diabetes Melitus tipo II, em que a perda de peso melhora o controle de açúcar no sangue e o exercício físico regular minimiza as anormalidades na sensibilidade a insulina (SCHLEDER; 2013).

O treinamento resistido, ajuda muito no controle da DM, e qualquer pessoal pode pratica-lo, Com isso tantos os exercícios de moderada ou alta intensidade são benéficos para ajudar no tratamento desde que o diabético esteja com glicose controlada e que o treinamento respeite a individualidade biológica de cada pessoa.

1.jpeg

 

 

Referências

CAMPOS, M. A. Musculação, Diabetes, Osteoporose, Idosos, Crianças e Obesos. ed. 4, Tijuca/RJ, Editora Sprint, 2000.

COLBERG, S. Atividades Físicas e Diabetes. ed. 1, Barueri/SP, Manole, 2003.

SCHELEDER, K. F. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício; ISSN 1981-9900 versão eletrônica São Paulo, v.7, n.40, p.360-367. Jul/Ago. 2013.

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Setembro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br