Cuiabá, 26 de Maio de 2018

Domingo, 28 de Janeiro de 2018, 01h:21 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Política sólida, política líquida


            Na semana que passou, entre as dezenas de conversas que tive, destaco duas. Uma com o professor Sergio Sintra. A outra com o deputado estadual Leonardo Alburquerque, presidente da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa.

            O professor Sergio Sintra discorreu sobre a educação e fez uma interessantíssima analogia entre o professor e os alunos dentro da sala de aula. Pra ele, o professor entra na sala com uma formação de valores, de conhecimentos e de princípios sólidos. Ou seja, formados e consolidados. O aluno entra com uma alma líquida. Não tem nada solidificado e está aberto a tudo que é novo. Não reconhece nada do que é sólido. Apoia-se no smartfone e encara a sala de aula num desprezo e desajuste inevitaveis.

            O deputado Leonardo entende que a Assembléia Legislativa está no campo dos valores sólidos. Consolidados pelo tempo em cima de valores completamente vencidos os deputados fazem a política sólida. Velha, antiquada e inapropriada pros tempos dos smarfones e outros simbolismos da modernidade. Em tempos de internet, de redes sociais, de grupos de conversação a simples citação da política sólida traduz corrupção, mau uso de dinheiro público, corporativismo e descompromisso ético.

            Concordo com as duas posições.

            Nas eleições deste ano estarão em confronto direto a política sólida e a política líquida. Como será isso? De um lado a velha rotina de promessas, de exaltação das carreiras, dos serviços prestados. Mas sem a inevitável explicação dos elevadíssimos custos das casas legislativas. E da falta de transparência. Das denúncias frequentes de mordomias, de nepotismos e de omissões horrorosas. A paisagem líquida mergulhada nas suas necessidades. Esperando respostas e soluções. São duas políticas que não se falam. A sólida, mergulhada dentro de si mesma. A política líquida mergulhada no horizonte futuro.

            O deputado Leonardo espera que a Casa tenha compreendido as duas políticas. O professor Sergio Sintra acha que a sala de aula ainda está no século passado.

            A síntese dessas contradições entre as duas políticas, é na verdade, a contradição da sociedade. De um lado os valores sólidos históricos. De outro, a paisagem líquida de uma sociedade em permanente transformação. Síntese: conflitos, conflitos, conflitos....e conflitos!

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@onofreribeirto.com.br  www.onofreribeiro.com.br

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Abril 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br