Cuiabá, 26 de Setembro de 2018

MÁRCIA KUHN PINHEIRO

Quinta-feira, 19 de Julho de 2018, 18h:07 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Acabar a dor, com amor...


Marcia Pinheiro - 9.jpg

 

Sabemos que a palavra cristã nos ensina a amar o nosso próximo como a si mesmo, mas de que próximo estamos falando? Na maratona diária para cumprir todas nossas tarefas, acabamos nos esquecendo desses ensinamentos básicos.

 

Na vida tudo é passageiro, cargos, posições, prestígio e holofotes, o que fica é a nossa essência. Acredito que devemos nos direcionar para os mais necessitados, os que se encontram em situação de vulnerabilidade, dando a mão para quem precisa de nós. Um ato de bondade é mais sobre o tempo que investimos em dar atenção, ouvir o outro, compreender sua situação, do que o recurso financeiro investido.

 

A entrega de cobertores para a população em vulnerabilidade social é um ato carregado de amor ao próximo, repleto do anseio de melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, mesmo que seja com um pequeno gesto, buscando trazer aconchego nos dias em que somos pegos de surpresa pela nossa calorosa cidade, que ao tornar-se fria, coloca em risco a vida dessas pessoas que já encontram tantos percalços em seus caminhos.

 

Se o que para uns é pouco, quase nada, para muitos significa o mundo. A entrega dos cobertores representa mais do que um mero objeto, a ação passa a mensagem que apesar das dificuldades ou da impressão que às vezes o mundo se esquece de nós, essas pessoas se importam e merecem se sentir valorizadas, merecem e devem sentir que alguém se importa com suas vidas, dando um senso de dignidade e valor.

 

Devemos reconhecer a dura verdade de que não vamos erradicar os problemas sociais com uma campanha beneficente. Dizer que solucionaremos todas as mazelas seria um grande cinismo. Esta é uma realidade que encontramos na história e na imperfeição do Ser Humano. O que difere uma pessoa da outra é a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do próximo.

 

Para além de praticar a beneficência, procuremos agir com benevolência. Enquanto a beneficência é praticar o bem, a benevolência é desejar o bem a outrem, colocar amor, afeto e humanização em nossas ações.

 

* Márcia Kuhn Pinheiro é administradora de empresas, pós-graduada em gestão pública, atual primeira-dama de Cuiabá e idealizadora da campanha Doe amor, Doe cobertor, Aquece Cuiabá.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Agosto 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br