Cuiabá, 22 de Novembro de 2017

INVESTIMENTO

Quinta-feira, 18 de Agosto de 2016, 09h:08 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

"Governo vai colocar nova ferrovia em licitação", diz Blairo a Dalton

Da Redação com Assessoria

(Foto:André Lobato Brasil )

Blairo e Dalton.png

 

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, disse nesta semana, em Cuiabá, ao presidente do Partido Progressista (PP) de Sinop, Dalton Martini, que as licenças prévias para a obra da Ferrovia Ferrogrão, ligando Sinop a Miritituba (PA), já estão sendo providenciadas pelo governo. Blairo, que apoia a candidatura de Dalton para a Prefeitura de Sinop, cumpriu agenda com o candidato para tratar do processo eleitoral de outubro.

 

​“O Governo Federal vai colocar em pouco tempo uma nova ferrovia em licitação e que sairá de Sinop até Miritituba. Isso trará um grande desenvolvimento à região. O que já é um polo, uma cidade referência, será mais ainda. Grandes investimentos virão nesta direção”, afirmou o ministro a Dalton Martini. A Ferrogrão deve custar próximo de R$ 10 bilhões. 

 

A expectativa da União é que ainda neste segundo semestre a Empresa de Planejamento e Logística-EPL, ligada à secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), solicite ao Ibama análise quanto à viabilidade ambiental da Ferrogrão. O aval do órgão é considerado essencial para os planos do governo, pois, a partir dele, estará apto a realizar a licitação do empreendimento. Quem vencê-la dará continuidade aos estudos iniciais.

 

A Ferrogrão faz parte do antigo Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, e sua construção é pretendida pelas principais tradings do agronegócio (ADM, Amaggi, Bunge, Cargill, Louis Dreyfus), consorciadas com a Estação da Luz Participações Ltda. (EDLP). Juntas, as multinacionais respondem por aproximadamente 70% das exportações de soja.

 

Os estudos de viabilidade econômica, técnica e ambiental elaborados pela EDLP para subsidiar a elaboração do edital e do leilão da ferrovia já foram aprovados pelo Ministério dos Transportes. Segundo a EDLP, a Ferrogrão deverá transportar cerca de 15 milhões de toneladas de grãos (soja, milho e farelo de soja) no sentido exportação em um primeiro momento, podendo atingir cerca de 30 milhões no futuro. A projeção leva em conta o crescimento da área plantada e o aumento da produtividade da área de influência da ferrovia entre Sinop e Miritituba.

 

De acordo com o Relatório de Estudos Preliminares da Estação da Luz, a ferrovia prevê a existência de um polo de captação de carga de exportação em Sinop e outro de transbordo para barcaças do distrito de Miritituba, no município de Itaituba (PA).

 

Para o progressista Dalton Martini, o corredor ferroviário, que passará ao lado da BR-163 em Sinop, pode dar fôlego à economia local, mas vai exigir que a infraestrutura do município esteja preparada.

 

“A ferrovia vai trazer progresso para Sinop, mas também teremos que preparar melhor a cidade. Junto com a obra virão mais moradores, a necessidade de mais escolas, creches, de leitos hospitalares, de moradias. Não só olhar o lado econômico, mas também o humano para que a população não sofra pela falta de planejamento. O desenvolvimento deve chegar para todos e não só para um ou outro”, defendeu.

 

Conforme Dalton, a demanda por serviços essenciais deve aumentar porque Sinop se tornará um polo de recebimento de toda produção de grãos que sairá das regiões produtoras e armazéns. Nesta cidade serão realizados o carregamento e a formação de trens que partirão sentido Miritituba.

 

As obras da linha férrea podem começar ainda em 2019, com prazo de execução de cinco anos.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br